Escova progressiva: 8 tipos, indicações, vantagens e desvantagens

07 de maio de 2018

|

POR Patrícia Beloni

A escova progressiva é uma das técnicas que existem para alisar os fios, reduzir o volume e o frizz dos cabelos. Também é chamada de defrizz, esse procedimento pode auxiliar na resolução de  problemas como pontas duplas, fios ressecados, sem forma e até indisciplinados.

Composição

De acordo com Marcela Buchaim, farmacêutica bioquímica especialista em tricologia e terapia capilar e responsável pela idealização do Spa do Cabelo, a fórmula da escova progressiva costuma conter carbocisteína, um aminoácido que abre as estruturas dos fios, e um pouco de formol.

Entretanto, o último componente possui contraindicações, existem versões de progressiva sem formol, cujas fórmulas substituem o ingrediente pelo tioglicolato de amônio e a etalonamina, substâncias semelhantes mas que causam menos danos.

Como é feita a escova progressiva

Depois de lavar os cabelos com um xampu de limpeza profunda e secado parcialmente, a progressiva é feita por meio da aplicação de um produto específico, mecha por mecha.

Então, os fios são secados novamente e alisados com a chapinha. Após esse passo, é possível lavar o cabelo imediatamente e finalizar com um creme de tratamento final ou, a depender do tipo de produto, permanecer com o produto nas madeixas por três dias.

Quanto tempo dura?

A maior parte das escovas progressivas só permite lavagem dos cabelos após três dias e seus efeitos duram por volta de três meses, embora há algumas com duração menor e maior.

Tipos de escova progressiva

A principal diferença entre os métodos de alisamento estão nos compostos alisantes, que possuem componentes e cheiros diferentes. Veja quais são as opções e escolha a melhor escova progressiva para você:

Tradicional

Usa queratina e óxido acetamide. Pode conter ou não formol e é indicada para quem tem cabelo ondulado e volumoso.

Escova progressiva zap ou inteligente

Possui os mesmos ingredientes da tradicional, com adição de proteínas e minerais, mas permite que os cabelos sejam lavados no mesmo dia do tratamento. Funciona como hidratante, deixa os fios mais resistente e fortalece os danificados. Dá um aspecto natural aos cabelos cacheados.

Escova progressiva de chocolate

Possui queratina, proteína de seda, extrato de cacau, cafeína, ácidos graxos e pode ou não conter formol. É menos agressiva aos cabelos, dá mais leveza e menos alergia.

Também funciona como hidratante e nutrição. Entretanto, pode aumentar a produção de óleo no couro cabeludo, levando à queda dos fios e ao desenvolvimento de seborreias.

Escova de morango

É feita de queratina, etanolamina, proteínas, ácido de morango e vitamina C. Seus efeitos são um pouco mais suaves do que os da escova de chocolate.

Escova marroquina

Composta por argila branca, óleo de cacau do Marrocos e formol. Contém também um neutralizador, que permite lavar os cabelos logo no dia seguinte.

Escova americana

É feita de guanidina. Deixa os cabelos mais soltos e naturais, sem aparentar terem sido alisados. Seu efeito redutor de volume dura mais do que as escovas comuns, cerca de 6 meses.

Não é indicado para quem já fez tratamento com amônia, henê, tioglicolatos ou hidróxido de sódio.

Escova indiana

Contém extrato de sândalo, amêndoas doces e cravo da índia, misturados a um aminoácido que retém umidade, o PCA sódico. É indicada para quem já tem cabelos lisos ou quimicamente tratados.

Tanto a duração do procedimento como dos efeitos são menores – 50 minutos de aplicação e 30 dias de duração.

Progressiva dos 17 óleos

É o único alisante capilar brasileiro reconhecido pelo Ministério da Saúde, não causa danos respiratórios, nem alergia cutânea e ocular, pois não libera vapor tóxico, como progressivas convencionais e botox capilares que apresentam formaldeído e ácido glioxílico em suas fórmulas.

É indicada para todos os tipos de cabelo e compatível com qualquer procedimento químico. Dura até 60 dias.

Como escolher o melhor tipo de escova progressiva?

Cada pessoa tem um tipo de fio que precisa ser avaliado em diversos aspectos por um profissional especializado, como se tem ou não coloração e se apresenta descamação do couro ou queda. Só ele será capaz de verificar o melhor tipo de escova para cada pessoa.

Diferenças entre escova progressiva e escova definitiva

A diferença é que a definitiva é com tioglicolato de amônia, que será definitivo, pois quebra as pontes de enxofre. Já a progressiva pode apresentar formol e tem somente como objetivo vitrificar e enrijecer os fios.

Vantagens e desvantagens

A escova progressiva dá brilho, hidrata e dá maciez aos cabelos. O resultado imediato é bonito, seus efeitos durante por cerca de 30 a dias a 6 meses, dependendo do produto, do tipo do cabelo e do número de lavagens.

Inclusive, é chamada de progressiva porque, a cada vez que se realiza esse procedimento, o cabelo apresenta melhores resultados no alisamento e na redução de volume e frizz.

Entretanto, com o tempo o tratamento pode danificar muito o cabelo e a raiz, prejudicando o movimento natural dos fios. Sem contar que muitas vezes pode apresentar formol na composição, o que causa problemas à saúde.

Com formol ou sem formol?

Embora a Anvisa permita até 0.2% de formol na formulação, de acordo com a especialista Marcela Buchaim, a melhor escolha é a progressiva sem formol.

Isso porque ele penetra a cutícula do fio até chegar ao córtex, em que se concentra a massa capilar, os aminoácidos e as ligações de dissulfeto, prejudicando-os. “No couro cabeludo, pode dar dermatite e descamação, quebrar os fios (pela morte do folículo), provocar queimaduras, queda do cabelo, ardência nos olhos, falta de ar, tosse, dor de cabeça, enjoos, vômito, levar a desmaios e ainda paralisar a produção da glândula sebácea”, diz.

O único efeito é que o cabelo podem ficar lisos de imediato com o formol, mas com o tempo e o uso contínuo, o produto deixa os fios fracos e sem brilho.

A médica tricologista Ana Carina Junqueira Bertin ainda alerta para outros efeitos do formol.

Quando ele é absorvido pela pele, pelo couro cabeludo e quando é evaporizado pelo calor, a pessoa acaba inalando. Quando isso acontece, entra nas vias aéreas e é altamente absorvido pelas mucosas aéreas.

“O maior risco é dos profissionais que estão fazendo as progressivas. Mais até que os clientes, pois eles inalam o dia todo”, conta.

Outro ponto que Ana atenta: o formol é acumulativo. Então, cada vez que é usado o organismo se expõe mais a ele. E quanto mais vezes se fizer o tratamento, mais risco se corre, mesmo com a quantidade dentro do permitido.

Entretanto, outro grande problema das progressivas sem formol é que elas são até 5 vezes mais caras, porque o formol é um produto de baixíssimo custo, e, consequentemente, mais procurado.

Como identificar se tem formol?

Se o produto solta fumaça e tem um cheiro forte e característico ao ser aquecido, pode se tratar de formol.

Para não ser pego de surpresa, o ideal é checar se a lista de ingredientes da escova progressiva contém os termos formaldeído ou poliformol, que nada mais são que formol.

Cuidados antes e depois da escova progressiva

Para quem realiza esse tipo de procedimento, o maior cuidado é com o xampu utilizado antes e depois do tratamento.

Ele não pode conter muito sal, nem ser anti-resíduo ou indicado para oleosidade. Nesse caso, eles podem acabar ressecando mais o cabelo e causar um dano maior.

Os condicionadores e máscaras utilizados devem ser bem hidratantes. Depois, é recomendado o uso de óleo de argan para recuperar os fios.

Indicações e contraindicações

A escova progressiva é indicada para quem tem cabelos crespos e com muito volume. Entretanto, nem todos os cabelos dessa categoria devem passar pelo procedimento, pois alguns são mais porosos e podem ser danificados pela técnica.

Quem tem couro cabeludo sensível e cabelos muito oleosos também não devem realizar a escova progressiva. Quem tem os cabelos virgens também devem evitar, já que os efeitos não são tão efetivos.

Da mesma forma, crianças não podem fazer escova progressiva, segundo norma do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Além da progressiva, é proibida a aplicação de qualquer tipo de produto químico em crianças.

Grávidas também devem evitar o procedimento que alisa o cabelo, porque a química pode afetar a sua saúde e a do bebê.

Segundo Marcela Buchaim, no geral, a escova progressiva não é mais indicada. Principalmente, porque no mercado existem outros tipos de alisamento que, além de funcionarem perfeitamente, ainda ajudam a deixar os fios mais saudáveis.

Preço

Os valores da escova progressiva são parecidos e variam de salão para salão, em torno de R$ 50 a R$ 500. E o procedimento pode levar de 50 minutos a 3 horas, dependendo do tipo.