Cirurgia Plástica: há um momento ideal para voltar aos exercícios físicos

21 de agosto de 2017 ● POR Redação

Não é novidade para ninguém que a atividade física traz benefícios para nosso corpo, inclusive no aspecto estético. Mas quando se deseja dar um upgrade na definição do contorno corporal, a cirurgia plástica é uma das principais opções.

Mas há mulheres que não abrem mão da malhação para manter a forma corporal nem mesmo após o pós-operatório, período pré-estabelecido pelo médico no qual a atleta deve se afastar dos exercícios para a total recuperação da cirurgia e suas cicatrizes.

Estar em boas condições físicas antes da cirurgia plástica contribui significativamente com os resultados do procedimento, e após a cirurgia os exercícios físicos ajudam a tonificar a musculatura, o que otimiza os efeitos sobre a região submetida à operação.

O mínimo, de forma geral, para o retorno às atividades físicas leves como caminhada ou bicicleta ergométrica é de 15 dias. Para regressar aos exercícios físicos de movimentos moderados a intensos são, em média, 30 dias. Quem define a liberação é o cirurgião plástico, conforme a resposta orgânica do paciente.

Pode correr?

Seja qual for a cirurgia, o retorno deve ser sempre planejado e feito gradualmente, pois o corpo ainda está se adaptando às novas condições.

De acordo com o cirurgião plástico Laercio Guerra Garcia Júnior, o prazo varia de acordo com o tipo de procedimento realizado, e é fundamental que a paciente siga as orientações médicas.

“Após a operação, os exercícios físicos ajudam a tonificar a musculatura, o que otimiza os efeitos sobre a região submetida à cirurgia plástica. Mas para que estes não interfiram nos resultados da cirurgia, é preciso avaliar caso a caso antes de voltar a praticá-los”, explica ela.

Isso não quer dizer também que a paciente precise passar o dia todo deitada. Pelo contrário, ela deve se movimentar, mas com cautela e sem esforços.

“Não existe cirurgia plástica que exija repouso total no leito durante o pós-operatório”, alerta o especialista. Mas correr logo depois, nem pensar!

O exercício pode favorecer uma série de problemas, como deiscências de cicatrizes (abertura espontânea do corte), edemas (inchaços), hematomas, infecções e seroma — uma complicação caracterizada pelo excesso de líquido que fica retido próximo à cicatriz, causando inflamação.

“Em casos extremos, alguns desses problemas podem chegar a interferir no resultado esperado. Quando surgem deiscências grandes, por exemplo, pode ser necessária uma nova cirurgia para reparo”, explica o médico.

Tipos de cirurgia plástica x tempo de retorno

Abdômen

É necessário uso de cinta abdominal. Exercícios que movimentam a região são liberados após 30 dias.

Mamas

Uso de sutiã cirúrgico e cuidados com peso e movimentação dos braços nos primeiros 15 dias. Treinos físicos que demandam movimentos dos braços de forma intensa só são permitidos após 30 dias.

A paciente precisa aguardar este prazo para realizar exercícios de braço, como aqueles realizados nos aparelhos de musculação. A mulher também deverá utilizar, desde o início da prática da atividade física, tops que ofereçam um bom suporte para as mamas.

Lipoaspiração

Utilize cinta abdominal e evite esforços na primeira semana. Exercícios só depois de 15 a 30 dias.

Braço

Use malha de compressão e tome cuidado com o peso e a movimentação dos braços nos primeiros 15 a 30 dias.

Glúteos

Vista malha de compressão e tome cuidados específicos para se sentar por pelo menos uma semana. Exercícios que envolvam a musculatura de glúteos só depois de 30 dias.

 

Fonte: Dr. Laércio Guerra Garcia Júnior (CRM-SP 101.095), especialista em Cirurgia Plástica e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBPC