Cauterização capilar: efeitos, como fazer, riscos e duração do tratamento

26 de julho de 2018

|

POR Lucas Coelho

Cauterização capilar é uma opção de tratamento indicada principalmente para quem deseja deixar os fios mais brilhosos e controlados. Apesar do nome ser um tanto assustador, o procedimento é bastante simples e não envolve fogo na cabeleira. Entenda:

O que é cauterização capilar?

O procedimento consiste em nada mais do que a aplicação de um produto cuja composição contém queratina, a qual realiza a selagem da cutícula do cabelo, que é como é chamada a parte mais externa de cada fio.

Para que serve?

A cauterização no cabelo é indicada especialmente para quem pretende aumentar o brilho, diminuir o frizz e alinhar os fios.

Este tratamento também é recomendado como uma forma de recuperar a vitalidade após a realização de algum tipo de química capilar danosa, como tintura e escova progressiva.

Composição

De acordo com a dermatologista Paula Raso, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), não existe uma padronização em relação à cauterização capilar. Por exemplo, um cabeleireiro pode fazer apenas a aplicação de queratina, mas outro pode usar produtos com outras funções e fórmulas.

Tem formol?

“Acredito que, em alguns salões, já sejam aplicados produtos que contêm derivados de ácido glioxílico, que ajuda a alisar o cabelo e manter o resultado por muito mais tempo”, afirma a especialista.

Popularmente, muitos conhecem o ácido glioxílico como formol, mas na realidade são duas substâncias diferentes que, na prática, têm efeitos semelhantes.

O ácido glioxílico se trata de um ativo que pode liberar formol quando exposto a altas temperaturas. Como na cauterização é necessário usar chapinha nos cabelos, após a aplicação do produto, o risco de exposição é alto.

“O grande perigo é que algumas dessas substâncias ainda não foram liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas há lugares em que são usadas mesmo assim”, alerta a médica Paula Raso.

O mais indicado, portanto, é realizar o procedimento com um cabeleireiro capacitado e de confiança.

O cabelo fica alisado?

 

Tratamento capilar no salão.

coka/Shutterstock

Ao contrário da impressão que muitos podem ter, diferente da escova progressiva, o objetivo da cauterização capilar não é alisar o cabelo.

O que acontece é que certas substâncias, como o formol, podem deixar o volume mais controlado, o que pode dar a impressão de que os fios estão mais lisos.

Contudo, se for aplicada apenas a queratina, os fios ficarão mais hidratado e com menos frizz, mas não alisarão.

Riscos da cauterização capilar

Como já dissemos, existem alguns cuidados e riscos no procedimento. O primeiro deles é a aplicação excessiva de calor durante a chapinha. Se isso for feito de maneira errada, os fios podem ser danificados.

“Além disso, como o ácido glioxílico libera formol com o calor da chapinha, muitas pessoas podem apresentar reação alérgica, o que é um perigo”, diz a médica da SBD.

Grávidas vs. cauterização capilar

O grande vilão da história é o formol. Por ser uma substância cancerígena e de rápida absorção no couro cabeludo, o recomendado é que gestantes e lactantes o evitem de qualquer maneira.

O formol pode causar malformação do feto ou ser transmitido para o bebê por meio do leite materno, já que entra na corrente sanguínea da mãe quando utilizado.

“Como não existe um padrão claro dos produtos utilizados nos salões de beleza, fica a dúvida sobre quais cauterizadores contém a substância nociva ou não”, alerta a dermatologista. O ideal seria ter certeza em relação à composição, mas é difícil garanti-la sem padronização. Se houver a certeza de que a cauterização é feita somente com queratina, em teoria, ela pode ser realizada em grávidas, mas é melhor não arriscar.

Quanto tempo dura?

Se o tratamento for feito apenas com a queratina pura, não há grandes restrições para realizá-lo com maior frequência, como até uma vez ao mês.

No entanto, se houver a presença do ácido glioxílico ou do formol, o tratamento irá durar mais e não precisará ser feito novamente em menos de três meses.

Como fazer cauterização capilar: passo a passo

 

Mulher fazendo tratamento capilar em casa.

Mr.Cheangchai Noojuntuk/Shutterstock

Além de recorrer a um cabeleireiro, é possível fazer cauterização capilar em casa. Para isso, primeiro é necessário comprar um kit voltado ao tratamento em farmácias ou perfumarias e ter um secador e uma chapinha. Depois, se atente às orientações da embalagem e siga os passos abaixo:

  1. Lave o cabelo com xampu antirresíduos várias vezes;
  2. Retire o excesso de umidade com uma tolha ou pano;
  3. Aplique a queratina líquida em todo o cabelo, mecha por mecha.
  4. Aguarde 20 minutos. Se preferir, coloque uma touca.
  5. Retire o excesso de líquido com uma toalha e seque bem o cabelo (sem enxaguar o produto) com secador.
  6. Pranche cada mecha aproximadamente três vezes.

Está pronto. Se quiser, lave em seguida ou aproveite o liso já obtido.

Cuidados depois da cauterização capilar

Após realizar o procedimento, é preciso tratar as madeixas com condicionador e máscara hidratante. Isso irá garantir o sucesso e o prolongamento dos efeitos da cauterização capilar.

O interessante das máscaras hidratantes é que elas são, geralmente, um pouquinho mais concentradas do que os condicionadores, garantindo um poder de hidratação até maior, e podem ser feitas em casa. Além dos produtos industrializados, existem diversas receitas com óleos, leite, frutas e mel, a depender apenas de sua preferência pessoal. Basta aplicar no cabelo depois de lavado, deixar agir por uns 10 minutos e remover.

Preço

O preço varia bastante, podendo chegar a até R$ 200 nos salões de beleza. Há também kits caseiros vendidos por diversas marcas e que apresentam uma variação grande de valor, dependendo do tamanho de cada um, podendo passar dos R$ 300.