Picky eater: transtorno do ‘paladar infantil’ prejudica muito a saúde

Atualizado em 11 de novembro de 2019

Por: Marília Sussaio

NUTRICIONISTA | CRN 39892

Picky eater, ou paladar infantil, é um termo usado para adultos que tem o comportamento alimentar similar ao de crianças, ou seja, aqueles que se recusam a experimentar novos alimentos e só de pensarem em uma verdura ou legume fazem careta, tem ânsia e repulsa. Reverter esses típicos comportamentos infantis é importante para a saúde.

O que é picky eater?

O termo picky eater, que faz parte do âmbito do paladar infantil, refere-se a pessoas que selecionam demais os alimentos antes de comer. Inclusive existem estudos que classificam o ato com um distúrbio alimentar chamado “alimentação seletiva”, no qual o indivíduo é tão seletivo que se afasta do convívio social para não ser questionado por suas escolhas.

Normalmente, pessoas com esse tipo de paladar costumam aceitar apenas alimentos ricos em carboidratos refinados, gordura e realçadores com sódio e glutamato monossódico. Altamente industrializados, esses componentes são prejudicais à saúde.

Além disso, o picky eater tem enorme dificuldade em consumir alimentos com gosto mais neutros, azedo ou amargos, que de forma geral fornecem nutriente essenciais para o funcionamento adequado do organismo.

Causas

Existem possíveis justificativas para o paladar ser infantil:

Alimentação na infância

A primeira são as escolhas que a mãe fez durante a amamentação e/ou introdução alimentar do indivíduo, visto que são capazes de exercer papel fundamental no desenvolvimento do paladar.

Por esse motivo, é recomendada a oferta variada de alimentos desde a gestação até a adolescência, sendo importante insistir para que sejam consumidos, de modo a não se preocupar apenas com a quantidade de comida mas também com a variedade.

Busca por prazer

Outra possível causa é psicológica, ou seja, quando o indivíduo tenta associar determinados alimentos ao prazer que já trouxeram e faz escolhas na busca dessa sensação.

Por que mudar?

O corpo é feito de células, as quais são unicamente formadas por nutrientes que vêm dos alimentos. Logo, se a alimentação for inadequada, será difícil receber bons nutriente e, desta maneira, não terá boas células e muito menos um bom corpo.

Tratamento

O grande segredo para resolver o picky eating é simplesmente entender porque é necessário mudar.

Aos poucos, ela deve ser priorizada uma alimentação rica em nutrientes e pobre em conservantes, corantes, carboidratos refinados e gorduras.

Também vale experimentar diferentes tipos de preparo de alimentos e se forçar a comê-los até o paladar se acostumar aos novos sabores, visto que as papilas gustativas são adaptáveis – por exemplo, há 15 anos ninguém tolerava comer peixe cru, comida típica da cultura asiática que hoje é muito popular.

Portanto, os picky eaters podem apostar nas seguintes dicas:

  • Se dedicar ao preparo dos alimentos de diferentes formas: ao invés de um tradicional legume refogado, vale assá-lo com diferentes temperos. Essa dica é boa para abóbora, abobrinha, berinjela e até repolho.
  • Ao invés de fazer uma salada simples, criar uma incrementada e bonita aos olhos. Aposte em molho de abacate e castanhas salpicadas, por exemplo.
  • Evoluir aos poucos na prova de diferentes alimentos, dos menos aos mais amargos e azedos, para que o paladar se adapte.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Marília Sussaio

Marília Sussaio

Nutricionista formada pela Universidade Federal do Triangulo Mineiro, pós graduada em Nutrição Clinica Funcional pelo Istitudo Vp, coach de emagrecimento pelo Nutrition Coach. Acredito em uma alimentação baseada em comida de verdade e de fácil aplicação. Tenho experiência em atendimentos em consultório e palestras e sou apaixonada por transformar vidas por meio dos alimentos. CRN3 39892