Enxaqueca em mulheres é 3 vezes mais frequente que em homens

Atualizado em 11 de novembro de 2019

Por: Dra. Aline Turbino

NEUROLOGISTA | CRM 128847/SP

Estima-se que de cada 100 brasileiros, 15 sofram com enxaqueca. A incidência é maior entre as mulheres jovens, cujas crises chegam a ser três vezes mais frequentes do que nos homens. Pesquisadores estão tentando entender porque isso acontece.

Causas da enxaqueca em mulheres

A causa das dores de cabeça do tipo enxaqueca ainda não está complementa esclarecida, mas há suscetibilidade genética no paciente que, sob determinados estímulos, promoveria dilatação de alguns vasos cerebrais e início do processo inflamatório, que desencadeariam os sintomas de dor, náusea e intolerância à luz.

O fato de os hormônios femininos, em especial o estrógeno, possuírem efeitos no cérebro poderia explicar a maior incidência nas mulheres e também a piora durante o ciclo menstrual.

Sabe-se que 30% das mulheres apresentam enxaqueca menstrual, conhecida como a pior dor do mês, que surge até dois dias antes do fluxo ou até três dias após. Isso não significa, porém, que o fim da fase reprodutiva também marca o término das crises de enxaqueca em mulheres, já que a doença pode piorar às vésperas da menopausa, quando os níveis de estrogênio flutuam intensamente.

A enxaqueca é a segunda doença mais incapacitante do mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde, e tem diversos impactos negativos na vida social e profissional da pessoa, já que reduz a produtividade, prejudica a prática de exercícios físicos e de hobbies, afeta os relacionamentos e até mesmo a vida sexual.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde