Cirurgia menos invasiva para hérnia de disco tem alta no mesmo dia

Cerca de 300 mil brasileiros são operados por ano para tratar a hérnia de disco. Um número expressivo, e que fica mais fácil de entender quando se sabe que de cada dez pessoas, sete terão dor lombar ao longo da vida, sendo que a hérnia de disco está entre as principais causadoras do incômodo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

A cirurgia é indicada quando a pessoa não responde ao tratamento com medicação e quando a compressão do nervo é provocada pelo extravasamento do disco. Também há recomendação nos casos em que a hérnia de disco provoca dor intensa por dias seguidos, incontinência urinária e fecal e tira a força das pernas.

Como funciona?

Em todos esses casos, para solucionar o problema, é preciso remover a hérnia que está comprimindo o nervo. Para isso, pode-se fazer a cirurgia minimamente invasiva ou a tradicional.

A menos invasiva é realizada com o uso do endoscópio, em que uma cânula fina com uma pequena câmara acoplada é introduzida na coluna por uma incisão de apenas 6 milímetros. Daí o sangramento ser muito pequeno, o procedimento precisar apenas de anestesia local e sedação, a alta ser dada no mesmo dia e a pessoa poder retornar às suas atividades normais em sete dias.

Um avanço e tanto, já que na cirurgia tradicional a recuperação pode levar dois meses, porque o especialista precisa abrir o músculo, fazer uma ‘janela’ no osso e afastar o nervo para, finalmente, retirar a hérnia.

Isso explica a perda de sangue ser maior, assim como os danos nos tecidos ao redor, bem como a necessidade de anestesia geral e internação por alguns dias.

Vale saber

Quando aparece?

A hérnia aparece quando os discos que ficam entre as vértebras da coluna se desgastam, saem da posição normal e comprimem as raízes nervosas na região.

Isso provoca uma dor intensa e, por vezes, incapacitante, que pode durar meses e se tornar crônica. E, todos estão sujeitos a ter hérnia de disco: jovens, adultos e idosos.

Prevenção

A prevenção inclui controlar o ganho de peso, fortalecer e alongar os músculos da coluna e cuidar da postura.

Isso significa evitar ficar na mesma posição durante muito tempo, seja em pé ou sentado; ao sentar, sempre apoiar a coluna no encosto da cadeira ou do sofá; não carregar bolsas e mochilas muito pesadas, especialmente num ombro só; nem levantar objetos que tenham mais do que 10% do seu peso, tendo com base o que seria considerado saudável para a sua altura.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito com base no histórico do paciente e também a partir de exames físicos e de imagem, como raio-x, tomografia e ressonância magnética. “Só assim para identificar onde a hérnia está localizada”, esclarece o ortopedista e cirurgião de coluna.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde