Vitamina A: para que serve, alimentos e quando suplementar

27 de novembro de 2018

|

POR Mariana Amorim

Um dos nutrientes mais importantes para o organismo é a chamada vitamina A. Ela tem impacto positivo em diversas vertentes, como saúde ocular e da pele, imunidade, combate aos radicais livres e prevenção de doenças.

Por isso, saber suas funções e formas de obtenção, é necessário e imprescindível. Saiba tudo a seguir:

Benefícios

Conforme explica a nutricionista Camila Avileis, do Centro Terapêutico Máximo Ravenna, a vitamina A, que também pode ser chamada de retinol, é repleta de benefícios. “Ela pode impactar positivamente muitos aspectos do organismo, como a visão, os ossos e os dentes, a pele e a renovação celular”, destaca.

Antioxidantes

A vitamina A conta com uma poderosa ação antioxidante que, por sua vez, combate os radicais livres que prejudicam células saudáveis e causam diversos problemas, entre eles o envelhecimento precoce.

Além disso, os componentes antioxidantes dão uma força para o organismo conseguir renovar suas células, por isso, ele são tão importantes na proteção e no tratamento de doenças mais graves, como cânceres.

Imunidade

Por conta da boa quantidade de antioxidantes em sua composição, a vitamina A também contribui bastante para a manutenção do sistema imunológico que, por sua vez, colabora para a reação efetiva do organismo contra agentes perigosos reagirem, desde gripes até cânceres.

Renovação celular

Outro ótimo benefício da vitamina A é o poder de renovação das células, fator que combate danos precoces nas células.

Esse benefício é especialmente bom para quem pratica esportes de alta intensidade que costumam acelerar a ação dos radicais livres.

Nível de açúcar

Segundo explica a nutricionista, há estudos que apontam os benefícios da vitamina A para o controle do nível de açúcar no sangue.

“Por isso, pode ser um componente favorável para quem tem diabetes tipo 2“, conta Camila Avileis.

Deficiência de vitamina A

O déficit pode acontecer por diversos motivos. Entre eles, está a própria alimentação pobre nesse componente e os quadros de disabsorção – como no caso de pessoas com doenças inflamatórias intestinais, sensibilidade ao glúten, alcoolismo e intestino curto.

Sintomas

Os primeiros sintomas de falta de vitamina A são dificuldade para adaptar-se à visão noturna, causando a “cegueira noturna”, que pode evoluir para lesões importantes na córnea e levar até mesmo à perda de visão definitiva.

Pele, cabelo e unhas ficam secos e quebradiços. Pode haver, ainda, tontura e mal-estar.

Além disso, o sistema imunológico é afetado, de modo a favorecer o aparecimento de gripes e outras infecções.

Quantidade recomendada

Conforme explica a nutricionista, a quantidade diária recomendada é de 900 microgramas (mcg) para homens adultos e 700 mcg para mulheres adultas.

Fontes de vitamina A

 

Alimentos com vitamina A.

vaaseenaa/IStock

A vitamina A é encontrada facilmente em uma alimentação equilibrada e, o mais importante, variada.

“Está presente em alimentos de origem animal, na forma de retinol, e em alimentos vegetais na forma de carotenoides, que são convertidos em retinol pelo organismo”, conta Camila.

Alimentos com vitamina A

  • Queijo
  • Ovos
  • Peixes
  • Leite
  • Iogurte
  • Produtos de fígado de boi, como patê de fígado e fígado cozido
  • Vegetais amarelos, vermelhos e verdes (folhosos), como espinafre, cenoura, batata doce e pimentão vermelho
  • Frutas amarelas, como manga, mamão e damasco

Suplemento: quando é necessário?

A suplementação de vitamina A, por via oral, pode ser prescrita por médicos e nutricionistas para pacientes que tenham importante deficiência no organismo.

Pode ser o caso de pessoas com dietas restritivas, alterações digestivas ou  alguma limitação como pancreatite ou sarampo.

Muitas multivitaminas contêm retinol. Outros suplementos, como óleo de fígado de peixe, também são ricos nele.

Certifique-se de que  a ingestão diária total (alimentos e suplementos) não exceda 1,5 mg. Se você come fígado todas as semanas, não tome suplementos que contenham vitamina A.

Como potencializar seu efeito?

Certas combinações de alimentos e componentes podem gerar bons resultados, potencializando a ação benéfica, como a vitamina C, que auxilia a absorção de ferro.

No caso do retinol, Camila explica que, quando é associado a gorduras e proteínas, há melhora na digestão do organismo.

Interações

No caso de medicamentos, também podem ocorrer interações nocivas com os seguintes tipos:

Anticoagulantes: o uso oral de suplementos de vitamina A com medicamentos usados para prevenir coágulos pode aumentar o risco de hemorragia.

Bexaroteno (Targretin): tomar suplementos de vitamina A durante o uso deste medicamento contra o câncer aumenta o risco de efeitos colaterais, como coceira e pele seca.

Drogas hepatotóxicas: tomar altas doses de suplementos de vitamina A pode causar danos ao fígado. Combinar altas doses de suplementos de vitamina A com outras drogas que podem danificar o fígado aumenta ainda mais o risco de doença hepática.

Orlistat (Alli, Xenical): este remédio para emagrecer pode diminuir a absorção de fontes alimentares de vitamina A.

Retinóides: não use suplementos de vitamina A e esses medicamentos orais ao mesmo tempo pois pode haver excesso do nutriente no sangue.

Riscos do excesso de vitamina A

De acordo com algumas pesquisas, consumir mais do que 1,5 mg por dia de vitamina A pode afetar reduzir a densidade dos ossos, propiciando a osteoporose e tornando-os mais propensos a fraturas.

Ainda pode haver sintomas diversos. É o caso de pele seca, dor nas articulações, diarreia, vômitos, dores de cabeça, mal-estar e confusão mental.

Por fim, o excesso também aumenta o risco de problemas hepáticos e na gravidez.

 

Fontes

National Institutes of Health – Office of Dietary Supplements. Vitamin A. Disponível em: https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminA-HealthProfessional

Mayo Clinic. Vitamin A. Disponível em: www.mayoclinic.org/drugs-supplements-vitamin-a/art-20365945

National Health Service. Vitamin A. Disponível em: www.nhs.uk/conditions/vitamins-and-minerals/vitamin-a

Nutricionista Camila Avileis, do Centro Terapêutico Máximo Ravenna. CRN 13976