Precisamos de suplementos vitamínicos?

06 de fevereiro de 2015 ● POR Redação

É cada vez mais comum encontrar bebidas de suplementos vitamínicos e minerais nas prateleiras dos mercados. A quantidade desses nutrientes adicionada às garrafas de sucos, bebidas esportivas e até água pode até ser pequena, mas também pode fazer mal às pessoas que ingerem esse tipo de bebida. Segundo nutrólogos americanos, as pessoas estão consumindo mais vitaminas do que o necessário para se ter uma vida saudável, justamente devido a esses tipos de alimentos.

Para se ter uma ideia do grau excessivo de ingestão desses suplementos, mais da metade de todos os adultos norte-americanos tomam multivitamínicos. Ainda não existem explicações efetivas para o alto consumo desses tipos de nutrientes pela população, mas os problemas causados pelo exagero dessas substâncias no organismo já foram comprovados.

A quantidade de antioxidantes presentes nesse tipo de bebidas é tão alta que bloqueia completamente os radicais livres do organismo, necessários para combater infecções e células cancerígenas. Além disso, a maioria das vitaminas encontradas nesses alimentos já está presente na dieta de uma pessoa comum, ou seja, ingeri-las separadamente das refeições seria excessivo. É comprovadamente impossível consumir esse tanto de vitamina em qualquer tipo de alimento na natureza.

Segundo um estudo feito pelo National Institutes of Health, em 2012, pessoas que usam suplementos em excesso têm maior risco de também consumir, sem saber, enormes quantidades de ácido fólico, cálcio, ferro, zinco, magnésio e vitaminas A, C e B6.

É claro que existem casos em que algumas pessoas necessitam de determinadas vitaminas ou minerais, principalmente mulheres gestantes ou que estão amamentando, mas para a grande maioria não há justificativa para o consumo exagerado dessas substâncias. E o alto nível de certos tipos de nutrientes pode trazer graves danos ao organismo, como a falência dos rins, câncer e doenças cardíacas.

(Fonte: The New York Times)