Biotina (vitamina B7): benefícios para o corpo, a pele e os cabelos

Biotina é uma vitamina hidrossolúvel do complexo B, também conhecida como vitamina H ou até mesmo como vitamina B7. O nutriente ajuda a transformar carboidratos, gorduras e proteínas provenientes dos alimentos em energia para atividades do cotidiano. Além disso, atua na saúde da pele, das unhas e dos cabelos devido à utilização de hidratos de carbono e à síntese de ácidos graxos.

Essa vitamina é produzida pelas bactérias presentes no intestino e pode ser obtida por alimentos como tomate, gema do ovo, cebola, entre outros.

Confira mais informações sobre seus principais benefícios, possíveis riscos de sua deficiência no organismo e mais.

Para que serve

Saúde da pele

A biotina atua no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras, o que acaba na melhora da aparência da pele. Inclusive, a ausência de biotina no organismo pode deixar a pele seca.

Fios saudáveis

A biotina também pode contribuir para a saúde do cabelo, isso porque há relação com a produção de queratina, proteína que compõe o cabelo.

Unhas mais fortes

A queratina é uma proteína que também atua na saúde das unhas e pode ser potencializada pela biotina em conjunto com outras vitaminas do complexo B.

Sistema imunológico

A biotina é importante para diversas funções vitais, entre elas a produção de glicogênio, que é o estoque de energia rápida do organismo.

Essa vitamina também tem papel importante para a produção das células brancas do sangue e dos anticorpos, além de regular a gordura saturada do organismo e diminuir dores e câimbras musculares.

Recomendação de quantidade diária

A recomendação diária de biotina é 30 ug. “Claro que isso pode mudar de acordo com cada organismo e necessidade. Por isso, é importante procurar um nutricionista ou nutrólogo.

Deficiência de biotina

A deficiência de biotina no organismo é rara, porque a vitamina é facilmente encontrada em uma rotina de alimentação saudável e equilibrada. No entanto, pode acometer pessoas hospitalizadas, diabéticas, que fazem hemodiálise, gestantes ou com transtornos alimentares.

Nesse caso, cursa com sintomas como:

  • Fraqueza nas unhas e cabelos
  • Calvície
  • Pele seca
  • Conjuntivite
  • Dermatite
  • Dores musculares
  • Aumento da glicemia
  • Infecções de pele
  • Pele acinzentada
  • Perda de apetite
  • Náuseas
  • Apatia

Onde encontrar biotina?

 

Tigela de amendoim torrado, que é fonte de biotina.

kram9/Shutterstock

É fácil suprir a necessidade diária de biotina, basta se alimentar constantemente de carnes, sementes, nozes e vegetais. A seguir, confira os alimentos que são destaque em quantidade do nutriente em sua composição:

  • Fígado bovino
  • Amendoim
  • Castanha-de-caju
  • Ovo cozido
  • Salmão cozido
  • Leite integral
  • Cenoura cozida
  • Abacate
  • Mamão-papaia
  • Banana
  • Alface
  • Laranja

Como suplementar

Fazer ou não a suplementação da vitamina é uma escolha que deve ser tomada em conjunto com um especialista em saúde, como um nutricionista ou nutrólogo. Isso porque suplementar pode afetar o funcionamento do metabolismo como um todo, mas também pode não surtir efeito nenhum.

A biotina é hidrossolúvel e o excesso dela no organismo não é aproveitado, isso significa que o corpo acaba por descartar seu excesso no xixi. Por isso, de pouco vale suplementar algo que não seja realmente necessário.

Deste modo, vale analisar a saúde da pele, do cabelo e das unhas como provável indicativo de deficiência dessa vitamina.

Riscos do excesso

Assim como a falta de biotina pode causar malefícios para o organismo, o consumo excessivo pode causar náuseas, diarreia, acne, reações alérgicas e alterações em exames hormonais.

 

Referências

Nutricionista Geovanna Barreto, da Clínica NutriCilla.