Conheça os alimentos que causam azia e corte-os da dieta

05 de fevereiro de 2018

|

POR Patrícia Beloni

Sabe aquela queimação no estômago que dá depois de comer algo que não caiu bem ou depois de comer demais? É a chamada e famosa azia. Ninguém está imune a ela, mas você sabia que existem alguns alimentos que causam azia mais facilmente do que outros?

A nutricionista Orion Araújo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, explica que a azia pode ser caracterizada principal pela típica sensação de mal-estar e de aumento da eructação — o nome oficial do arroto.

“O que provoca a azia é o refluxo do ácido gástrico, que está presente no nosso estômago e é responsável pela digestão dos alimentos”, afirma a especialista. “A azia tem relação direta com o que os alimentos que ingerimos. Ele sai do estômago como se fosse retornar à boca”.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 20 milhões de brasileiros sofrem deste problema, e o número continua crescendo.

É possível evitar a azia, mas procurar soluções por conta própria, usar medicamentos ou remédios naturais para amenizar o desconforto não são as melhores saídas. O ideal sempre é procurar um especialista para investigar e tratar o que pode estar por trás da azia e não simplesmente melhorar os sintomas temporariamente.

O que podemos fazer em casa para acabar com esse problema é mudar a nossa alimentação, tirando e/ou substituindo alguns itens do cardápio.

19 alimentos que causam azia

De acordo com Orion, os alimentos ricos em gorduras são os que mais causam azia, pois eles são mais difíceis de digerir.

Quanto mais tempo um alimento demora para ser gerido, mais tempo demora para reduzir a quantidade de ácido gástrico em nosso estômago. É quando ele está em excesso que ocorre o refluxo e a sensação de azia.

Os alimentos que mais causam azia são:

  1. Frituras em geral;
  2. Maionese;
  3. Molhos prontos, mostarda, ketchup;
  4. Queijos gordurosos, como parmesão e gorgonzola;
  5. Doces em geral;
  6. Bolos com recheio;
  7. Chocolates;
  8. Bebidas alcoólicas;
  9. Vinagre;
  10. Sucos e frutas cítricas (limão, laranja etc.);
  11. Condimentos de temperos prontos;
  12. Verduras com pH ácido, como couve, brócolos, pepino, rabanete;
  13. Café;
  14. Chá preto;
  15. Adoçante artificial;
  16. Temperos picantes;
  17. Alimentos processados em geral;
  18. Alimentos com glúten;
  19. Refrigerantes.

Como aliviar e evitar a azia

Mudar os hábitos, principalmente os de alimentação, não é algo fácil, mas é essencial para manter o nosso organismo sempre saudável. A dica da nutricionista Orion é procurar uma alimentação recheada com alimentos alcalinos — ou seja, que têm o pH mais baixo. São eles:

  • Frutas, como banana, maçã sem casca, manga e melancia;
  • Verduras;
  • Legumes;
  • Grãos;
  • Cereais;
  • Gengibre (este é particularmente ótimo para indigestão);
  • Chá de camomila;
  • Iogurte;
  • Arroz integral.

Esses e outros alimentos fazem com que o pH estomacal se regularize, ficando menos ácido e, consequentemente, evitando a azia.

Outra dica é comer pequenas quantidades em intervalos de tempo menores. Faça pequenas refeições ao longo do dia, de preferência de 3 em 3 horas. Isso pode ajudar a controlar a quantidade de ácido liberada pelo corpo. Evitar dormir após grandes refeições também é uma boa pedida.

Além disso, retirar a bebida alcoólica e evitar líquidos durante as refeições também são maneiras fundamentais para quem quer evitar o refluxo e a sensação de queimação após uma refeição.

Azia na gravidez

É bem comum ter mais azia durante a gravidez. O esvaziamento do estômago fica mais lento e facilita o retorno do alimento para o esôfago, aumentando a chance de refluxo. A nutricionista explica que isso acontece porque o útero aumenta de tamanho e ocupa um espaço maior no abdômen.

Por isso, nessa fase, mais do que nunca é importantíssimo evitar alimentos ricos em gorduras. Os hábitos alimentares são fundamentais para a azia não piorar, já que o corpo já contribui para que ela ocorra com mais facilidade e frequência.

Azia constante: o que pode ser?

Quando não tratada, a azia constante pode levar à doença do refluxo gastresofágico e à doença do esôfago de Barrett, que é uma complicação da primeira.

Da mesma forma, o risco de desenvolver câncer de esôfago também é maior. Por isso, se você apresentar os sintomas da azia com frequência, é muito importante procurar um especialista em gastroenterologia para avaliar a situação e orientá-lo da forma mais adequada.

Receita caseira para quem tem azia

A nutricionista separou uma receita caseira que pode ajudar quem está com azia. Veja abaixo:

Coxinha de batata-doce

Ingredientes

  • Gengibre;
  • 1 tomate;
  • 6 azeitonas;
  • Farinha de linhaça dourada;
  • Sal a gosto.

Modo de preparo

Cozinhe a batata-doce e, depois de cozida, tempere com sal. Em seguida, amasse e adicione o ovo.

Misture o ovo com a batata-doce e faça o formato de coxinha para, em seguida, rechear com frango desfiado temperado com 5 lascas de gengibre ralado, o tomate picadinho sem semente e as azeitonas picadas.

Empane com farinha de linhaça dourada e leve ao forno por 30 minutos.

Por que essa receita é boa para azia?

Essa receita substitui a coxinha frita — que leva manteiga, catupiry e farinha na sua composição — por uma bem mais saudável e anti-queimação. Experimente!