Nutrição para crianças que praticam esportes

01 de agosto de 2017

|

POR Redação

Atualmente, são amplamente difundidos os benefícios da prática de exercícios físicos na infância, o que atua positivamente no crescimento, desenvolvimento, no aprimoramento da coordenação motora e do convívio social. No entanto, tal prática normalmente culmina com uma exigência nutricional diferenciada, a qual deve ser atendida para evitar problemas na saúde e no crescimento da criança. Além disso, uma alimentação adequada é fundamental para um ótimo desempenho esportivo.

O treinamento esportivo aumenta as necessidades energéticas e, desta forma, o aporte de carboidratos deve ser priorizado. Isso pode acontecer por meio da ingestão der pães, cereais, arroz, massas, frutas e tubérculos, como batata e mandioquinha.

As proteínas, presentes nas carnes em geral, leite e derivados e frios são fundamentais para o crescimento e recuperação muscular. Por isso, a dieta deve conter fontes desses alimentos em todas as refeições (café da manhã, almoço, lanches intermediários e jantar).

A baixa ingestão de cálcio, presente no leite, nos queijos e no iogurte, resulta em uma menor retenção deste na massa óssea em crianças, podendo aumentar o risco de fraturas. Por isso deve atentar a ingestão desses alimentos, devendo ser ingerido de 3 a 5 pequenas porções por dia.

O ferro é indispensável para a prática de atividade física, pois além de exercer as funções de transporte de oxigênio no sangue e no músculo, desempenha importante papel no crescimento. São fontes de ferro: carnes (especialmente a bovina), e em menor proporção o feijão e vegetais verdes escuros como o brócolis.

Dicas de lanches

Antes do treino: é importante entrar com os estoques de energia cheios. Para isso, fazer um lanchinho pré-exercício. Sugestões: banana com aveia, pão com geléia, suco de frutas

Durante o treino: Se o treino for inferior a uma hora, beber apenas água. As crianças podem evitar a desidratação durante o exercício ao ingerir líquidos a cada 15-20 minutos. Para a prática esportiva superior a 60 minutos, como ocorre nas escolinhas de esporte ou partidas de futebol, levar biscoitos para comer no intervalo ou isotônico para beber durante os treinos.

Após o treino: fazer um lanche variado para o músculo se recuperar da melhor forma possível. Boas opções: pão com queijo + suco de fruta OU cereal com leite + banana OU macarrão com frango e salada

Competição

Para crianças que participam de competições é importante que seus estoques energéticos estejam adequados. Sugere-se que nos três dias anteriores à competição haja maior ingestão de alimentos ricos em carboidratos. No dia da competição a criança deve ser orientada a ingerir refeições ricas em carboidratos e com baixo teor de gordura, sem frituras ou molhos gordurosos. Os alimentos devem ser de fácil digestão e a última refeição deve acontecer de 2 a 4 horas antes do evento. Até 2 horas antes da competição, um lanche leve com carboidrato pode ser incluído (por exemplo: 1 sanduíche com pouco queijo e geléia ou banana com aveia).

Comportamentos suspeitos

É importante salientar que, cada vez mais, crianças e jovens em geral tendem a adotar comportamentos alimentares que podem levar a deficiências energéticas e transtornos alimentares, como a anorexia e bulimia. Estas condições, quase sempre, acontecem com praticantes de atividades físicas, que vêem o exercício como um auxiliador no emagrecimento e o praticam de forma exagerada e errônea. Por isso, toda a atenção deve ser dada pelos pais em qualquer sinal exagerado de restrição alimentar e/ou desejo de praticar exercícios físicos. Nesse caso, deve-se procurar um acompanhamento médico especializado o mais rápido possível.