Azeite de oliva ajuda a combater o envelhecimento precoce

Atualizado em 20 de junho de 2018

|

Produzido a partir das azeitonas, o azeite de oliva apresenta diversas propriedades que melhoram a qualidade da vida de quem o consome. Ele é um dos óleos comestíveis mais antigos e importantes, presente na culinária de todos os cantos do mundo.

Muito utilizado na culinária mediterrânea, ele tem rica quantidade de ácidos graxos monoinsaturados. Portanto, ele tem a propriedade de diminuir a concentração de LDL, também conhecido como “mau colesterol”, enquanto aumenta a proporção de HDL, o chamado “bom colesterol”.

Além de ter efeito importante na qualidade de colesterol que uma pessoa tem em seu corpo, ele é rico em polifenóis, auxiliando na prevenção de doenças vasculares. Eles também têm efeito anti-inflamatório e, por isso, podem ser fortes aliado na prevenção de diversos tipos de câncer.

Tipos de azeite

Os azeites de oliva costumam ser encontrados em três tipos principais:

  • azeite extra virgem;
  • azeite virgem;
  • azeite virgem lampante (pode ser dividido entre lampante refinado e composto).

A variedade da azeitona, o tipo de solo, a prática de cultivo, condições climáticas e o estado de maturação do fruto definirão a acidez e, assim, a qualidade do azeite.

Portanto, para definir o tipo e qualidade, é necessária uma avaliação da acidez e das propriedades finais.

Confira os tipos e suas principais características na lista a seguir:

Azeite extra virgem

Este tipo é considerado o de melhor qualidade. Contendo uma acidez de até 0,8% (os melhores têm a acidez máxima de 0,2%), o azeite de oliva extra virgem tem aroma suave e sabor muito agradável ao paladar. Ele também é bastante utilizado em finalização de pratos e saladas.

Azeite virgem

Ainda com uma boa qualidade, o azeite virgem deve conter uma acidez que varia de 0,8% até 2%. Este tipo ainda pode ser utilizado para finalização de receitas, mas pode apresentar defeitos no aroma e gosto final.

Azeite virgem lampante

Contendo uma acidez superior a 2%, ele não é indicado para consumo direto. Para que possa ser consumido, precisa passar por processos de modificação, como refino. Existem dois tipos de azeite lampante para consumo:

  • Azeite refinado: é exclusivo para uso industrial e tem diversas características modificadas ao longo do processo de refino, devendo ser misturado com outros tipos para que chegue numa acidez razoável, bem como numa qualidade aceitável. Normalmente é proveniente de azeitonas com algum tipo de problema;
  • Azeite composto: ele tem menor qualidade e é proveniente de misturas do azeite com outros tipos de óleo, como o óleo de soja.

Benefícios do azeite de oliva extra virgem

A superioridade nutricional do extra virgem para consumo é clara. Por ser prensado a frio, ele mantém as propriedades importantes da azeitona, e tem tamanha pureza que há quem o compare com um suco de frutas.

Além de ser mais saboroso e ter aroma mais agradável, ele apresenta diversas características nutricionais preventivas para a saúde que os outros não têm, são elas:

  • Auxilio na absorção de vitaminas lipossolúveis;
  • Controle do colesterol;
  • Prevenção de doenças cardiovasculares;
  • Prevenção do câncer;
  • Fonte de gordura benéfica para a saúde;
  • Fonte direta de vitamina D.

Como consumir

Para um consumo saudável deste produto, é importante lembrar que, assim como qualquer outro alimento, o consumo excessivo pode ter impacto ruim.

A ingestão deve ser regular e limitada a uma quantidade equivalente a uma colher de sopa para temperar saladas ou grelhar (uma vez que consegue manter a maioria de suas propriedades mesmo em temperaturas elevadas).

Cuidados na hora da compra

O azeite pode oxidar com a luz. Portanto, na hora da compra, o ideal é escolher um tipo que seja extra virgem, preferencialmente orgânico e, se possível, com o vidro escuro.

Um extra virgem com acidez máxima de 0,8%, orgânico e de vidro escuro, tenderá a manter melhor as propriedades esperadas de um azeite enquanto agente de auxílio para manter a boa qualidade de vida e, naturalmente, de alimentação. Vale ressaltar que sempre é muito importante ler os rótulos dos produtos consumidos.

Quando for comprar, verifique a qualidade do óleo escolhido, principalmente para checar sua pureza. Averigue se há mistura com outros óleos ou mesmo com azeites refinados.

Azeite de oliva emagrece?

Além do grande impacto positivo que o azeite de oliva extra virgem tem na saúde, ele também auxilia no emagrecimento. Uma vez que ele demora para ser digerido e aumenta a sensação se saciedade, é um potente anti-inflamatório natural e pode ajudar no combate à obesidade.

Não se pode associar o emagrecimento exclusivamente ao consumo, mas ele pode ser um ótimo aliado na perda de alguns quilinhos indesejados.

Cosmético Natural

O azeite de oliva conta com uma propriedade bastante interessante que não é comumente difundida, mas é uma característica que pode ser muito útil. Ele pode ser utilizado como hidratante capilar e facial!

Por ser fonte direta de vitamina E, ele também retarda o envelhecimento e o ressecamento dos fios e da pele, atuando como hidratante que potencializa a umectação natural dos fios e pele, sem causar mais oleosidade.